terça-feira, 31 de março de 2009

E que tal a lei de talião em conjunto com a de Salomão?

Os ex-namorados que ganharam os 15 milhões de euros há dois anos não se entendem quanto à divisão do dinheiro. Isto é, ela não se entende, pois ele já disse que não se importava em dividir meia-a-meio.

Ela, de má-fé ou mal aconselhada, quer tudo para si.

Ora, se é verdade que o rapaz 'entrou' com 4€ e ela com 2€ - pela lei das sociedades comerciais daria 2/3 para ele (10 milhões) e 1/3 para ela (5 milhões) -, independentemente de quem preencheu os números, está mais que visto que a generosidade masculina está a ser menospresada, para não dizer vilipendiada, pela ganância da miúda e da família que a (des)aconselha.

Por mim, perante tanta demonstração de falta de tudo e mais alguma coisa - civismo, solidariedade, partilha, etc, etc - aplicava uma mistura da lei de talião e de Salomão: metade do dinheiro para cada um, como é de toda a evidência e lógica; como ela tudo quer, tudo perderia, e a sua parte de 7,5 milhões mais juros de dois anos seria distribuída por instituições de carácter social.

Poderia ser que aprendesse a portar-se mais como ser humano.





Para grandes males, grandes remédios.

As eleições europeias vêm aí

Faltam pouco mais de 2 meses (7 de Junho) para o primeiro acto eleitoral deste ano, as eleições para o Parlamento Europeu.

Será a primeira oportunidade de os portugueses se manifestarem, exprimindo nas urnas a sua opinião relativamente a como têm vindo a ser dirigidos, quer pela maioria socialista, que nos tem (des)governado na República quer pela 'eterna' maioria social-democrata na Região Autónoma da Madeira, que, não obstante os muitos milhares de milhões de euros que recebeu da União Europeia ao longo destas dezenas de anos, não conseguiu desenvolver a Região de modo a libertar-se do 'espartilho' económico, basicamente assente no Turismo, e que agora demonstra à evidência que o caminho não foi o melhor que se poderia ter percorrido.

Cá como lá, as prioridades foram invertidas, os investimentos foram mal feitos, e embora o desenvolvimento regional seja evidente as coisas começam a dar para o torto e ninguém sabe, com certeza e coerência, onde é que isto vai parar, havendo apenas uma certeza: isto não vai acabar bem!

O aumento da abstenção, especificamente neste acto eleitoral, contínuo e grave, é uma das chagas a combater por todos, políticos e não só, que querem uma mudança de paradigma na Europa, no país e na Região, que nos proporcione um futuro com melhores perspectivas, senão já para nós, pelo menos para os nossos descendentes.

Ignorar (leia-se, abster-se) não é nem nunca poderá ser solução. Ignorar é delegar nos outros a nossa opinião. Cada um de nós tem direito à sua palavra, a exprimir aquilo que sente, mas tem, acima de tudo, o dever de o fazer, sob pena de perder a autoridade de reclamar quando acha que as coisas deveriam ser diferentes.

Por isso, o voto, como direito e dever, deve ser exercido, e não se esqueçam que há mais forças políticas que as 'do costume' (PS e PSD).

Afinal de contas, o Bloco de Esquerda só precisa de cerca de um milhão de votos para colocar uma voz da Madeira no local das grandes decisões políticas de onde ainda pode esperar alguma ajuda significativa (leia-se, dinheiro).

É possível. Espalhem a notícia.



O candidato da Madeira pelo BE.

Miguel Portas: "Europeias serão exame ao governo"
O eurodeputado bloquista diz que por muito que não queiram falar do país, José Sócrates e Vital Moreira não terão outra hipótese na campanha das europeias. A 7 de Junho, "eles terão que ir a exame e o povo vai ser o júri desse exame", afirmou Miguel Portas no almoço dos 10 anos do Bloco em Matosinhos, onde explicou também porque concorda com as críticas de Lula aos "banqueiros louros de olhos azuis".



O cabeça-de-lista e actual deputado do PE
Ontem, no telejornal da RTP-Madeira, Marco Freitas, a dado passo, saiu-se com esta: "Por muito bonito que fique a gar..."...

Eis a verdadeira cacofonia (ou será 'cacafonia'?).



Há coisas que devem mesmo ser proibidas.

segunda-feira, 30 de março de 2009

E se em vez dos carros se preocupassem com os barcos?

O navio do operador espanhol Naviera Armas, que efectua as ligações marítimas entre Canárias-Funchal-Portimão, teve de ajustar o horário no Algarve porque o porto da capital madeirense está hoje superlotado.

Em declarações à agência Lusa, Manuel Vidal da Naviera Armas, confirmou que pelo facto do porto do Funchal estar superlotado com a escala de quatro navios de cruzeiro, o "Vólcan de Tijarafe" foi obrigado a prolongar domingo a sua escala em Portimão.

"Tivemos que ajustar horário e serviços, esperar que um dos navios que estão no Funchal saia, o que deverá acontecer a meio da tarde, pelo que o da Naviera Armas deverá chegar à Madeira hoje pelas 17:30", esclareceu.

O porto do Funchal recebe hoje quatro navios cruzeiro que transportam aproximadamente 7400 passageiros em trânsito, o "Aidabella" (2300), o "Thomson Celebration" (1100), o "Oceana" (2000) e o "MSC Armonia" (2000).

Quentinha...

Quando José Sócrates acordou descobriu que estava sozinho no Palácio de S. Bento. Não havia ajudantes de ordens. Não havia ministros, não havia cozinheiros. Nem contínuos, nem mesmo os seus mais fiéis assessores e ministros mais próximos ele encontrou. Não havia ninguém.

José Sócrates pegou no carro e saiu para dar uma volta pela cidade para ver se encontrava alguém. Mas a cidade estava deserta. Não havia ninguém nas 'elegantes' avenidas de Lisboa e ele voltou para o palácio muito preocupado.

Daí a pouco, o telefone tocou. Era o António Costa.

- Zé? - disse António Costa - És tu?

- Sim, sou eu. Mas o que é que se passa? Não está ninguém em Lisboa? O que houve? O que é que se passa? O que aconteceu?

- É claro que não há ninguém. Nem em Lisboa nem no resto do país, meu amigo. Não te lembras do teu discurso de ontem à noite na televisão? Descontrolaste-te e disseste que quem não estivesse satisfeito com o teu governo que fosse embora, que mudasse de país.

- Eu??? Eu disse isso?! E agora?... então ficamos só nós dois aqui em Portugal?

- Nós dois, gaita nenhuma!! Eu estou a telefonar de Paris.

É tempo de dizer BASTA!!!

O mal não é seguramente apenas do nosso país, mas com o mal dos outros posso eu bem... (a velha história da pimenta...).

Está na altura de os portugueses (TODOS) assumirem a sua cidadania e porem um travão na pouca vergonha que está a tomar conta do nosso país.

Desde os 'salários' obscenos que proliferam por várias empresas, públicas e privadas, até às reformas milionárias de gente que pouco fez para as receber, passando pelos inúmeros casos suspeitos de enriquecimento ilícito (onde a corrupção é o 'leitmotiv' evidente), há muitas razões para não continuar a votar PS e PSD nas próximas eleições.

É necessário dar mais credibilidade à política e aos políticos que a merecem. Os portugueses precisam de experimentar outras soluções que não as mesmas de sempre e que já vimos não darem resultado.

A hora é vossa, eleitores.

Irão ser excomungados?

D. Ilídio Leandro disse sábado que há “dever moral” de não passar a sida e que contraceptivo é “aconselhável”
Vaticano prepara resposta oficial a declarações de bispo de Viseu sobre preservativo

A Santa Sé está a preparar uma resposta oficial às declarações do bispo de Viseu D. Ilídio Leandro que defendeu, num texto publicado no site da Diocese de Viseu, que quem tem uma vida sexual activa tem “obrigação moral de se prevenir e não provocar a doença na outra pessoa. O bispo disse ainda que “aqui, o preservativo não somente é aconselhável como poderá ser eticamente obrigatório”.

Frederico Lombardi, padre responsável pela sala de imprensa da Santa Sé, adiantou ao “Diário de Notícias” hoje que este é um assunto delicado e que o comentário compete às autoridades competentes.

A polémica surge no seguimento das declarações do papa na visita a África. Bento XVI afirmou então que o problema da sida não se resolve com o recurso ao preservativo, que só piora este flagelo.

Também ontem D. Manuel Clemente, bispo do Porto, defendeu que “a grande solução” para o problema da sida “é comportamental” e que o preservativo é “um expediente” que poderá ter “o seu cabimento nalguns casos”.

Já a semana passada o bispo das Forças Armadas, D. Januário Torgal Ferreira, defendeu que “proibir o preservativo é consentir na morte de muitas pessoas” e que quem aconselha o Papa devia ser mais culto.

Segundo o “Diário de Notícias”, o cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, remeteu uma posição oficial sobre este conjunto de declarações para a próxima reunião da Conferência Episcopal Portuguesa, a realizar no dia 20 de Abril.



Usem o preservativo! É por isso que ele tem este nome, para preservar...

sábado, 28 de março de 2009

sexta-feira, 27 de março de 2009

Playing for change



Paz no Mundo através da música. Poderá ser mais um projecto utópico, mas é bonito.

Esta é a capa do CD que deve estar por aí a aparecer nas bancas.

5 razões para não usar preservativo



Como devem já ter percebido, já sei colocar vídeos no 'blog'...

Obrigado Tino

Ainda o preservativo

No Jornal da Madeira de ontem vinha um artigo de opinião onde Luciano Castanheira defendia a posição e as palavras do Ratzinger quanto ao uso do preservativo na defesa da contaminação pela SIDA.

Não posso estar mais em desacordo, bem como qualquer pessoa com dois dedos de testa. Não se trata aqui de questões religiosas (embora isso tenho um pouco a ver), mas de questões de saúde pública. O uso do preservativo evita a contaminação pelo HIV (ponto!).

E o final do artigo seria hilariante se não fosse dramático:

Bento XVI tem razão

O uso e abuso do preservativo é puro machismo. O homem é protegido se a mulher for portadora do vírus mas a mulher não o é, com igual eficácia, se o portador for o homem. Provam-no o incremento da SIDA na mulher, quase 100% imune no início da expansão epidémica e o seu aparecimento no recém-nascido, como o Dr. Machado Caetano – agora tão crítico de Bento XVI – confirmou em entrevista ao “JM” de 9 de Março de 2008. Sem qualquer dúvida concluo, pois, que o Papa tinha boas razões ao usar a expressão «preservativos que, ao contrário, aumentam o problema».


Isto só acontece se o preservativo estiver danificado ou for de má qualidade. E em qualquer dos casos o risco é igual para ambos.




Usem o preservativo. Digam não à SIDA!

Sobre as declarações de Monteiro Diniz e não só...

Ontem, no Dossier de Imprensa, RTP-Madeira

António Jorge Pinto

«O madeirense habituou-se a que outros pensassem pela sua própria cabeça. E, bem ou mal, essa cabeça é que conta.»

Ricardo Oliveira

«O Governo cultiva favores, cultiva a subsidiodepedência. E o 'povo' não é ingrato...»

Nicolau Fernandes

«Há uma cadeia de medo que leva a um contínuo voto no PSD.»

«Há gente da oposição que tem o rabo agarrado.»



Para que não se esqueça...

quinta-feira, 26 de março de 2009

Nada como a evidência

As crianças em delírio com a presença do presidente do Governo Regional na 'inauguração' da ampliação da escola.

Alberto João Jardim: 'Primus inter pares'!

Será que não conseguem fazer uma em condições?

Venda de Magalhães no mercado negro

Muitos Magalhães podem já não estar na posse dos alunos, tendo sido cedidos ou vendidos no mercado negro, alertam alguns professores.«Tenho o exemplo de uma família com três irmãos, todos receberam um computador Magalhães de borla porque pertencem ao escalão social A. Duvido que eles ainda tenham algum em casa», declarou Helena Amaral, um professora de Benfica.

A docente garante que quando solicita aos alunos que levem o portátil para a escola em determinado dia, eles faltam. «Nestes casos nós percebemos que os computadores já devem ter levado algum outro destino», sublinhou.

Helena Amaral considera que a implementação do portátil começou muito mal, uma vez que nem pais nem professores tiveram qualquer formação para utilizar o Magalhães.

«Dou-lhe um exemplo: É impensável fazer uma sessão de esclarecimento caso a caso, não há tempo. Eu até podia preparar uma sessão para um grupo de pais e projectava as imagens para que os pais percebessem como se faz, mas o Magalhães nem sequer pode ser ligado a um projector», explicou à Lusa Helena Amaral.

Para o responsável pelo Ensino Básico no Sindicato dos Professores da Grande Lisboa (SPGL), Manuel Grilo, o Magalhães «foi um investimento feito sem preparação, de forma muito precipitada e trapalhona por parte do Governo, como provam os sucessivos problemas com o Magalhães».


A real conversa da treta

De há uns tempos a esta parte (vários anos já), alguns órgãos de comunicação social têm-se empenhado em passar a mensagem de que os partidos são todos iguais.

Não sei o que os move nesta demanda, mas o que é certo é que a aleivosia tem espaço de penetração nas camadas sociais menos esclarecidas da população, portuguesa e madeirense em particular.

Tal afirmação é uma redução à menor potência do papel interventivo e de carácter democrático que cada partido pode e deve exercer perante os desenvolvimentos sociais e polítcos do dia-a-dia.

Não esquecer que são, muitas vezes, aqueles mesmos órgãos de comunicação social e/ou jornalistas/comentadores os promotores do nivelamento 'por baixo' da acção política de alguns partidos. Desde a sua não presença em acções, à remissão das actividades para uma coluna num terço de página sem direito a foto, passando pelo descrédito com que procuram 'polvilhar' as poucas notícias que dão desses partidos, tudo serve para manter o 'statu quo' que eles tão 'arduamente' combatem.

Eles, os paladinos do virtuosismo, que trabalham 'por amor à causa' da verdade e da justiça... Pois! O quarto poder contra o poder nenhum, que é o apanágio das minorias e da oposição continuamente silenciada e 'esquecida' (excepto quando é para dizer que são todos iguais)?

Por isso, não me venham cá com cantigas para as quais já dei a minha contribuição. O nosso lado da barricada devia ser o deles também, mas preferem manter-se ao lado do poder e dos 'poderosos'. Dá mais jeito, não é?

E o que é mais grave, é que certas opiniões difundidas assiduamente mais parecem um frete ao Governo Regional, mesmo que como resposta tenham as mais baixas considerações sobre o trabalho desempenhado com brio profissional.

Posto isto, era altura de alguns senhores fazerem uma introspecção no sentido de perceberem (se ainda não o sabem) o que os move a escrever determinadas considerações, olhando à sua volta e, percebendo o que realmente se passa no mundo que os rodeia, mudarem de agulha e darem-nos outra música...

quarta-feira, 25 de março de 2009

Não chega!!!

Gestores de topo da AIG devolvem 50 dos 165 milhões ganhos em “bónus”

Nove dos dez gestores que receberam os prémios mais elevados da seguradora norte-americana AIG acordaram devolver as quantias, segundo o procurador-geral do estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo.

Este responsável, que está a investigar a entrega de “prémios” milionários a quadros da American International Group (AIG), informou, em declarações citadas pela BBC, que quer recuperar cerca de 80 milhões de dólares, ou seja, cerca de metade do total dos prémios pagos, que rondam os 165 milhões de dólares. Estes “bónus” foram criticados por Barack Obama, tendo o Presidente norte-americano chegado a afirmar que seria um insulto premiar o desempenho dos responsáveis pelo colapso do grupo financeiro.

Desde Setembro de 2008, a AIG já recebeu mais de 170 mil milhões de dólares do Governo e é controlada a 80 por cento pelo Estado. O plano de ajudas públicas à AIG procura salvar o grupo e evitar prejuízos mais graves para todo o sistema financeiro.



E por cá? Quando é que o Governo 'socialista' impõe leis que impeçam obscenidades deste tipo?

Façam pela vida!

Estudo sobre futebol
Sporting e Benfica ganham adeptos por sugestão familiar, FC Porto pelo mérito

O FC Porto é o clube de futebol que mais adeptos conquista pela meritocracia, enquanto Sporting e Benfica garantem apoiantes pela área geográfica ou influência familiar, segundo Carlos Liz, autor do estudo "O Futebol, as marcas e os adeptos".

Na conferência Sports Marketing 09, hoje organizada no Porto pelo Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM), Liz defendeu que os "azuis-e-brancos" têm crescido de forma evidente no número de adeptos por causa da mentalidade vencedora instaurada.

"No nosso estudo, as pessoas mais velhas, para cima dos 40 e tal anos, são do Benfica e do Sporting, mas quando se desce na idade, particularmente para as crianças, verifica-se um aumento de adeptos do FC Porto. Não há o critério de família ou região, mas da meritocracia. E o FC Porto tem sido mais ganhador, logo, os mais jovens, vão para o que consideram melhor", disse.

O director-geral da Área de Planeamento e Estudos de Mercado (APEME) concluiu que, há anos, os adeptos escolhiam os clubes porque os pais assim o exigiam ou desejavam e afirmou também que, a criação de um novo modelo familiar também terá alterado as possibilidades de escolha.

"O FC Porto é escolhido pelo mérito. Por isso, os outros clubes (Benfica e Sporting) têm de fazer pela vida para continuarem a merecer a atenção dos adeptos. Estamos perante um novo modelo de escolha", explicou.

Carlos Liz aludiu também, no estudo, a outra inversão no fenómeno do futebol: de acordo com o especialista em marketing, cada vez mais as pessoas se agrupam pela amizade para assistirem a espectáculos desportivos.

"É particularmente interessante verificar que se vai ao futebol em grupo e, cada vez mais, com a inclusão de elementos do género feminino. Há uma grande renovação de mentalidades", afirmou.

O especialista também considerou que "alguns dos aspectos mais polémicos do futebol não contaminam as marcas, porque estas são poderosas".

Ora toma!

Acordo no Parlamento Europeu para impedir Le Pen de presidir a sessão inaugural

As duas maiores forças políticas do Parlamento Europeu (PE) chegaram a acordo para impedir que Jean-Marie Le Pen possa presidir à próxima sessão inaugural, depois de o líder da extrema-direita francesa ter dito hoje no hemiciclo que as câmaras de gás foram “um detalhe” na história da II Guerra Mundial.

E por cá, alguém sabe números?

Segundo o Ministério da Justiça e INE
Falências de empresas subiram 51 por cento no primeiro semestre de 2008

O maior aumento das falências verificou-se nas sociedades anónimas, normalmente de maior dimensão.
Na primeira metade do ano passado, período em que a actual crise ainda não era visível, mais de sete mil (7093) empresas comunicaram a sua falência, um valor que traduz um aumento de 51 por cento em comparação com igual período do ano precedente e nove por cento face à segunda metade de 2007.



E isto era quando ainda 'não havia' crise...

Decida-se, sr.ª ministra...

Processos disciplinares dependem das escolas
Ministério afirma que sem objectivos individuais não há avaliação de professores

O Ministério da Educação garantiu hoje que, sem objectivos individuais, os professores não são avaliados nem progridem na carreira, e remeteu para os conselhos executivos eventuais processos disciplinares pelo incumprimento daquele procedimento do processo de avaliação de desempenho.

“Sem fixação de objectivos individuais não há avaliação, não há progressão na carreira e o tempo de serviço não é contado para efeitos de concurso. Isto é absolutamente claro, não é controverso”, afirmou o secretário de Estado Adjunto e da Educação, Jorge Pedreira, numa audição no Parlamento, na sequência de um agendamento potestativo do PSD.

(...)

Para Ana Drago, do Bloco de Esquerda, o Governo continua a dar respostas “absolutamente irresponsáveis” em relação a este tema.

“Dizer que está tudo na lei não é verdade. Até as orientações da Direcção-geral de Recursos Humanos da Educação são contraditórias com o que diz o Ministério”, afirmou a deputada, sublinhando que os conselhos executivos, nas notificações aos professores, apresentam consequências diferentes de escola para escola.

(...)

Já não há razão para andar triste...

“Playboy” desnuda os seus arquivos na Internet.




Aqui: http://ipsilon.publico.pt/Flash/texto.aspx?id=226526

Ele é que é um 'detalhe' da espécie humana. Mau, mas apenas um detalhe...

Le Pen diz que as câmaras de gás foram um 'detalhe' da II Guerra Mundial.

Detalhe por detalhe, metam-no numa câmara de gás e resolve-se o assunto!

Esquerda.net adapta anúncio da Antena 1

Anúncio da Antena 1 alternativo

Boa desculpa...

Um tipo do norte comprou um Mercedes e estava a dar uma volta numa estrada nacional à noite.

A capota estava recolhida, a brisa soprava levemente pelo seu cabelo e ele decidiu puxar um bocado pelo carro.

Assim que a agulha chegou aos 130 km , ele de repente reparou nas luzes azuis por trás dele.

'De maneira alguma conseguem acompanhar um Mercedes' pensou ele para consigo mesmo, e acelerou ainda mais.

A agulha bateu os 150, 170, 180 e, finalmente, os 200 km/h , sempre com as luzes atrás dele.

Entretanto teve um momento de lucidez e pensou: 'Mas que raio é que eu estou a fazer?!' e logo de seguida encostou.

O polícia chegou ao pé dele, pediu-lhe a carta de condução, examinou o carro e disse:

- Eu tive um turno bastante longo e esta é a minha última paragem. Não estou com vontade de tratar de mais papeladas, por isso, se me der uma desculpa pela forma como conduziu que eu ainda não tenha ouvido, deixo-o ir!

- Na semana passada a minha mulher fugiu de casa com um polícia - disse o homem - e eu estava com medo que a quisesse devolver!

Diz o polícia: - Tenha uma boa noite!

Não lhes chega o que já roubaram!

BPN cobra taxas nas caixas Multibanco.

http://tv1.rtp.pt/noticias/?article=181546&headline=20&visual=9

Boicote total imediato!

terça-feira, 24 de março de 2009

Outra vez?

Mais uma atitude antidemocrática da RTP-Madeira. O debate político é só com alguns...

Vamos aturar isto até quando???

Talvez o contrário

No mesmo diário, na página 5, titula-se 'Sócrates subiu o nível do que é um primeiro-ministro'.

Estão mesmo a ver o que é que isto quer dizer para os trabalhadores, vindo da boca do presidente da Confederação da Indústria Portuguesa...

Será que ele não quis dizer 'Primeiro-ministro subiu o nível do que é um Sócrates'???

Fica a dúvida...

Problemas de dicção

No Diário de Notícias de Lisboa, de domingo, pode ler-se que o presidente da CIP, Francisco Van Zeller, defende que 'Portugal precisa de um governo de centro'...

É sempre o mesmo problema dos 'estrangeiros' com o português... O que ele queria dizer é que 'Portugal precisa de um governo DECENTE'!

Sempre a mesma conversa

Mais e mais desempregados, e o Governo Regional, pelos lábios do secretário regional dos Recursos Humanos, assobia para o ar, dizendo que já estava à espera e por isso as medidas (???) de combate ao desemprego lançadas há uns dias. Ao mesmo tempo, e na linha do discurso nebuloso que tem tido sobre esta matéria, lá vai dizendo que mesmo assim no continente está pior.

Como dizem do lado de lá do Atlântico, por Terras de Vera Cruz: pimenta no cu dos outros para mim é refesco!

segunda-feira, 23 de março de 2009

PLANO PARA SALVAR PORTUGAL (E A MADEIRA) DA CRISE

Passo 1:
Trocamos a Madeira pela Galiza, mas os espanhóis têm que levar o Alberto João Jardim.

Passo 2:
Os galegos são uma boa onda, não dão chatices e ainda ficamos com o dinheiro gerado pela Zara (é só a 3ª maior empresa de vestuário). A indústria têxtil portuguesa é revitalizada. A Espanha fica encurralada pelos Bascos e Alberto João Jardim.

Passo 3:
Desesperados, os espanhóis tentam devolver a Madeira (e Alberto João Jardim). A malta não aceita.

Passo 4:
Oferecem também o País Basco. A malta mantém-se firme e não aceita.

Passo 5:
A Catalunha aproveita a confusão para pedir a independência. Cada vez mais desesperados, os espanhóis oferecem-nos a Madeira, o País Basco e a Catalunha. A contrapartida é termos que ficar com o Alberto João Jardim e os Etarras. A malta arma-se em difícil mas aceita.

Passo 6:
Dá-se a independência ao País Basco, a contrapartida é eles ficarem com o Alberto João Jardim. A malta da ETA pensa que pode bem com ele e aceita sem hesitar. Sem o Alberto João, a Madeira torna-se um paraíso. A Catalunha não causa problemas (no fundo no fundo são mansos).

Passo 7:
Afinal a ETA não aguenta com o Alberto João Jardim, que entretanto assume o poder.
O País Basco pede para se tornar território português.
A malta aceita (apesar de estar lá o Alberto João Jardim).

Passo 8:
No País Basco não há Carnaval. O Alberto João Jardim emigra para o Brasil...

Passo 9:
O Governo brasileiro pede para voltar a ser território português. A malta aceita e manda o Alberto João Jardim para a Madeira.

Passo 10:
Com os jogadores brasileiros mais os portugueses (e apesar do Alberto João Jardim), Portugal torna-se campeão do mundo de futebol!
Alberto João Jardim enfraquecido pelos festejos do Carnaval na Madeira e no Brasil, não aguenta a emoção, e morre na miséria (isto aqui é duvidoso, mas enfim...), esquecido de todos.

Passo 11:
Os espanhóis, desmoralizados, e económica e territorialmente enfraquecidos, não oferecem resistência quando mandamos os poucos que restam para as Canárias.

Passo 12:
Unificamos finalmente a Península Ibérica sob a bandeira portuguesa.

Passo 13:
A dimensão extraordinária adquirida por um país que une a Península e o Brasil, torna-nos verdadeiros senhores do Atlântico, de uma costa à outra e de norte a sul.
Colocamos portagens no mar, principalmente para os barcos americanos, que são sujeitos a uma pesada sobretaxa por termos de trocar os dólares em euros,
constituindo assim um verdadeiro bloqueio naval que os leva à asfixia.

Passo 14:
Eles querem-nos aterrorizar com o Bin Laden, mas a malta ameaça enviar-lhes o Alberto João Jardim (que eles não sabem que já morreu). Perante tal prova de força, os americanos capitulam e nós tornamo-nos na primeira potência mundial.


É FÁCIL!

A morte no Dia da Mãe

Jade Goody morreu ontem, às 3.55 da manhã de domingo. Deixou dois filhos, de 4 e 5 anos, que acompanharam os mediáticos últimos momentos da mãe (entendendo-se este período desde que ela soube que tinha cancro no útero) em contacto directo com a morte...

Já o tinham feito no sentido oposto. A ascensão mediática da progenitora não lhes passou certamente ao lado, nos bons e nos maus momentos.

'Eu vivi toda a vida adulta falando sobre a minha vida. A única diferença é que agora estou a falar sobre a minha morte. Está tudo bem. Eu vivi em frente das câmaras, talvez morra em frente delas", tinha referido Jade, em Fevereiro, ao News of the Worl.

Não faço juízos de valor sobre a decisão desta mulher, de transformar a sua vida, e a sua morte, num espectáculo mediático, cujo objectivo foi garantir o melhor futuro (financeiro) para os seus filhos. E mesmo moralmente, também não me sinto com capacidade para 'etiquetar' as suas posições. São opções que tenho de respeitar.

Que a paz que não conseguiu ter na sua curta vida - 27 anos - consiga alcançar agora, e que os filhos a recordem como a mãe coragem que pensou neles até ao fim.



A longo prazo, vamos todos estar mortos!

Relato de um almoço

A comida foi boa, a conversa agradável, o ambiente pacífico (será porque o AJJ não discursou?)...

Elogios de cirscunstância de parte a parte (Miguel Mendonça vs Jaime Gama), nada que não se esperasse... Pelo menos, a grande democracia madeirense não foi enaltecida desta vez.

A parte institucional é fácil, a política pura e dura é que é mais difícil.

Mas por que é que as pessoas não podem relacionar-se e encontrar pontes de consenso na 'vida real' como acontece nestas circunstâncias?

Deputados da República e deputados da ALM (do BE, do PCP, do PSD, do PS e do PP) na mesma mesa em consonância de opiniões. Só o 2.º comandante da PSP parecia estar um pouco deslocado...

É preciso mudar alguma coisa, e parece que todos são unânimes em que o 'mal' está nas cúpulas...

Vou ali ao Royal Savoy e já venho

Lá estivemos com o presidente da Assembleia da República...

Lá razão queria ele ter, quando manifestou que 15 minutos eram mais do que suficientes. Por vontade dele, 2 minutos bastavam, uma vez que não se mostrou minimamente interessado em 'ouvir' o que os partidos tinham para dizer.

Tomou a iniciativa da conversa e divagou sobre vários assuntos, nenhum deles com interesse para a democracia na Madeira.

E despachava-nos com um aperto de mão se nós não tivéssemos tomado a iniciativa de pedir a palavra para dizer algumas coisas.

Lá aceitou, certamente a contragosto, e teve de ouvir que ainda há muito caminho a percorrer para a efectiva vigência da liberdade e da democracia na Região. 'Registou', palavras dele, e espera que 'o Bloco de Esquerda contribua' para a melhoria da imagem das instituições madeirenses.

Foi o que se pôde arranjar em tão pouco tempo, mas não foi em vão.

Vamos lá ver o que vai acontecer no almoço.

sábado, 21 de março de 2009

O papa chegou a África e falou do aborto (RTP).



Narcisismo ou autopromoção?

Cunha honesta

Empresário: Bom dia Sr. Eng., há quanto tempo??!!!
Ministro: Olha, olha, está tudo bem?!
Empresário: É pá, mais ou menos, tenho o meu filho desempregado. Tu é que eras homem para me desenrascar o miúdo.
Ministro: E que habilitações ele tem?!
Empresário: Tem o 12º completo.
Ministro: O que é que ele sabe fazer?!
Empresário: Nada, sabe ir para à discoteca e deitar-se às tantas da manhã.
Ministro: Posso arranjar-lhe um lugar como assessor, fica a ganhar cerca de
4000, agrada-te?!
Empresário: Isso é muito dinheiro, com a cabeça que ele tem era uma desgraça. Não arranjas algo com um ordenado mais baixo?!
Ministro: Sim, num lugar de secretário já se ganha 3000.
Empresário: Ainda é muito dinheiro. Não tens nada por volta dos 600/700???
Ministro: É pá, isso não, para esse ordenado tem de se ser licenciado, falar
inglês e dominar informática.


Como eu sempre disse: toda a gente é promovida até ao nível máximo da sua incompetência...


Onde é que eu já ouvi isto?

Um ministro português recebeu, em Lisboa, um ministro angolano. Simpático, o ministro português convidou o outro a ir lá a casa. O ministro angolano foi e ficou espantado com a bela vivenda. Em bairro chiquérrimo e com piscina. Com o informalismo dos luandenses pôs-se a fazer perguntas.

- Com um ordenado que não chega a cinco mil euros limpos, como é que o meu amigo conseguiu tudo isto? Não me diga que era rico antes de ir para o Governo?

O ministro português sorriu, disse que não, antes não era rico. E, em jeito de quem quer dar explicações, convidou o outro a ir até à janela.
- Está a ver aquela auto-estrada?
- Sim - respondeu o angolano.
- Pois, ela foi adjudicada por 100 milhões. Mas, na verdade, só custou 90... - disse o português, piscando o olho.

Semanas depois, o ministro português foi de viagem a Luanda. O angolano quis retribuir a simpatia e convidou-o a ir lá a casa. Era um palácio, com varandas viradas para o pôr-do-Sol do Mussulo, jardins japoneses e piscinas em cascata. O português nem queria acreditar, gaguejou perguntas sobre como era possível um homem público ter uma mansão daquelas. O angolano levou-o à janela.

- Está a ver aquela auto-estrada?
- Não!?
- Pois...

Francisco Louçã receia que desemprego atinja os 10%

Francisco Louçã disse sexta-feira, na Lousã, que a crise económica e financeira pode provocar uma taxa de desemprego em Portugal superior a 10%, o que corresponderia a 500 a 600 mil desempregados.

Falando sobre «O Espectro da Crise», na cerimónia pública de apresentação da candidata do partido à Câmara Municipal da Lousã, Ana Filomena Amaral, o coordenador nacional do Bloco de Esquerda (BE) salientou que a actual crise mundial pode ser a «primeira da história do capitalismo de todos os tempos que provoca uma redução global do produto de todo o mundo».

O coordenador nacional dos bloquistas alertou para a diminuição do emprego na «Europa, Estados Unidos da América, Canadá, Japão, África, América Latina», que se irá traduzir «em dezenas e dezenas de milhões de homens e de mulheres que se somam ao desemprego».

Sobre a crise em Portugal, Francisco Louçã criticou o Governo pela falta de legislação no combate à corrupção e à especulação financeira, bem como a não tributação dos prémios extraordinários com um imposto «altíssimo».

O dirigente do BE recorda «um banco onde se pagavam aos administradores em sacos de dinheiro e eles não prestam contas nem pagam os impostos sobre isso ».

«Verificamos depois noutro caso, no maior banco português privado, que há um ano e meio que está a ser investigado e não há ainda uma acusação, um processo em Tribunal, enquanto nos Estados Unidos um escândalo financeiro dois meses depois de ter sido detectado já está a correr o processo em tribunal e daqui a um mês vai acabar», sublinhou.

Para Francisco Louçã, a questão da crise «é também uma crise da Justiça», defendendo «uma justiça com todos os direitos e toda a responsabilidade, justa, mas que seja eficaz no combate ao crime económico e no crime em geral».

«Não é possível aceitar que a Justiça seja ainda um lento caracol que não olha para nenhum dos problemas e nunca chega a lado nenhum», ironizou o líder do BE.

O dirigente bloquista apelou ainda à União Europeia, que é o «maior criador de off-shores», escondendo 61 por cento do dinheiro do Mundo, a acabar com os paraísos fiscais dentro do seu espaço.

«Se a União Europeia quer levar a sério o combate ao crime financeiro feche os seus off-shores, particularmente em território inglês, pressione a Suíça, Lichenstein, Mónaco e países europeus, porque é preciso acabar com esta vergonha», afirmou Louçã.

Segundo o deputado, é nesses paraísos fiscais que «mais de 80 por cento destes milhões de milhões de dólares que são dinheiro de crime, ou de evasão fiscal ou branqueamento de capitais, estão escondidos».

«Para nós termos justiça no mundo é preciso que se combata o crime económico», frisou aos jornalistas.

(Diário Digital / Lusa)

Esta vale a pena

O culto do líder



Gosto especialmente do Mário Soares a tomar a biquinha...

Dá-lhes música

Vimos ontem na televisão (RTP-M) que Miguel Albuquerque consegue tocar 'órgão electrónico' (suponho que seria isso - desculpem a minha ignorância instrumental) sem olhar para as teclas.

Desperdício. Perdeu-se um bom músico para termos um mau presidente de Câmara.

Quem dá mais?

Segundo um responsável pela instituição, ontem na RTP-Madeira, há dois anos que não se aplicam electrochoques no Trapiche (Casa de Saúde de S. João de Deus).

Dizem as más línguas que em Guantánamo pagavam melhor...

Prisão perpétua num hospital psiquiátrico

O austríaco mais 'badalado' do momento foi condenado a prisão perpétua num hospital psiquiátrico por, entre outras acusações mais graves, e segundo a juíza que lhe leu a sentença, ter abusado da credibilidade de toda a gente...

Ainda bem que o Sócrates não é austríaco... digo eu.

sexta-feira, 20 de março de 2009

88% das ajudas à economia foram parar aos bancos

Os números do FMI e da OMT relativos aos planos de ajuda de 17 países para combater a crise económica revelam que o destino dos dinheiros públicos para atacar a crise foi sobretudo o sector financeiro.

Comparando com o valor total atribuído a incentivos às empresas e aos consumidores, os banqueiros recolheram sete vezes e meia esse dinheiro, ou seja, 10,87 biliões (sim, biliões, 10.870.000.000.000) de euros.



(Por comparação, o planeta Terra tem pouco mais de 6 mil milhões de habitantes (6.000.000.000)

Ler mais em http://www.esquerda.net/content/view/11233/1/

Pois, a Democracia... e mais não sei o quê... que chatice...

A VISITA DE JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS

Leiam duas vezes

As anedotas que são colocadas neste 'blog' não são apenas para divertir e desanuviar de textos mais 'sérios' que se intercalam; leiam duas vezes e façam as analogias necessárias, pois 'piadas' também são cultura.


Olá se são.

Mania das grandezas

Aproveitando a ausência dos patrões, 'Craudete', a empregada africana, fofoca com uma amiga de Angola ao telefone:

- Maria, aqui nesta mansão é tudo fachada, nêga!

- Porquê, Craudete? - pergunta a amiga.

- Nada é dos patrão! Tudo é 'imprestado'!

- Como assim?- pergunta a outra, curiosa.

- A roupa dos patrão não é deles, as dele é de um tal de Armani, a gravata de um tal Pierre Cardin, os 'vistido' dela é de uma tal Fátima Lopes e os carro é da Mercedes... Nada é deles, minina!

- Nossa, Craudete... Qui pobreza!

- O 'pió di' tudo 'cê inda' num sabe... Outro dia o patrão tava no telefone falando que tinha um grande Picasso... Pura mentira, Maria... É piquinininho, que dá dó.

Solidário, sempre!

Nada pode justificar ataques, tentativas de agressão, ameças e incitamentos à violência sobre jornalistas e colaboradores de órgãos de comunicação social. Ponto!

A seu tempo voltarei a este assunto.

Por agora, a minha solidariedade com os visados. Estou do vosso lado!

quarta-feira, 18 de março de 2009

Há coincidências fantásticas, não há?

No mesmo dia em que o primeiro-ministro apresenta propostas para ajudar as famílias a ultrapassarem a grave situação em que nos encontramos - algumas delas apresentadas anteriormente pelo Bloco de Esquerda e ridicularizadas e recusadas pelo PS -, o presidente do Governo Regional, sr Gonçalves, apresenta também as suas, algumas também semelhantes às do Bloco de Esquerda...

E volta a não referir esse facto!

Ingratos, é o que eles são.
__________________________



Francisco Louçã apresentou um programa de 3 medidas urgentes para as famílias endividadas e acusou o governo de nada fazer para responder ao sobre-endividamento.

As três medidas são:

- Renegociação das dívidas bancárias das famílias afectadas pelo desemprego;

- Estabelecer entre o Estado e a Caixa Geral de Depósitos (CGD) a redução em 1% dos juros para a compra de habitação social, extensível a todos os contratos creditícios já em vigor;

- Melhorar a acção social, isentando de propinas e actualizando a bolsa, dos estudantes de famílias afectadas pelo desemprego, para um mínimo de 150 euros, em vez dos cerca de 50 euros actuais.

F. Louçã sublinhou que "cada uma destas medidas é extremamente responsável e representam, no total, um custo de 12 milhões de euros por ano", considerando que negar ajuda a esta "emergência social" revelaria uma enorme "insensatez e insensibilidade".
Na conferência de imprensa, o coordenador da comissão política do BE salientou que o governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, lançou "um seriíssimo aviso" sobre o risco de alastramento da crise financeira, o que considerou um "aviso fundamentado". Para o Bloco de Esquerda, os indicadores económicos confirmam o risco, salientando que, "nos Estados Unidos, o cenário de uma nova recessão é agora credível".
Segundo a agência Lusa, F. Louçã criticou: "O que é surpreendente é que o governador do Banco de Portugal não apresente nenhuma proposta concreta e o ministro das Finanças desconheça totalmente a realidade das famílias portuguesas". O BE considera ainda pior que a União Europeia vá "agravar a crise" e que neste Outono vá "voltar a subir a taxa de juro".
De acordo com os dados do BE, o endividamento das famílias portuguesas é superior a 130 por cento do seu rendimento disponível e, durante os últimos seis anos, mais de 50 mil famílias falharam os pagamentos das suas casas. Por isso, F. Louçã apresentou as "três medidas práticas", que considerou estarem "perfeitamente dentro dos limites" orçamentais do Governo para o próximo ano.
Na primeira medida, renegociação das dívidas bancárias das famílias afectadas pelo desemprego, o Bloco de Esquerda propõe que nesses casos "a CGD deve ser instruída, se houver acordo da parte endividada, para assumir imediatamente o crédito e estabelecer um juro bonificado enquanto durar a situação de desemprego".


Isto foi em Setembro de 2007, mas daí para cá tem sido reforçado pelo BE a necessidade de um apoio directo às famílias que viam o seu nível de vida agravar-se com o deteriorar da economia.


O PS acordou agora. Mais uma vez, tarde e a más horas...

Com a devida vénia ao meu camarada.



Apareçam que vai ser interessante.

Além de violador, sequestrador, homicida... é parvo

«O austríaco Josef Fritzl, que está a ser julgado por ter violado e mantido a filha enclausurada numa cave ao longo de 24 anos, declarou-se esta manhã culpado no crime de homicídio de um dos filhos nascidos daquela relação incestuosa, reconhecendo assim todas as acusações que lhe são imputadas.»

Inicialmente assumia apenas violação e pouco mais, o que lhe daria até 150 anos de cadeia. Agora arrisca prisão perpétua...

É parvo ou quê? Ou espera atenuantes? E como é que se reduz prisão perpétua? Para prisão quase perpétua? Por mim, nem se perdia tempo com o julgamento.

Ah, valente!

"Foi apenas uma discussão entre homens sem qualquer expressão pública", disse o 'ingénuo' que na madrugada de 3.ª feira gritou, insultou, ameaçou e fez vir para a rua muitos populares, alguns até de pijama, tudo devido a um debate sobre um jogo de futebol... de que ele não fez parte (nem num nem noutro).



E não se pode exterminá-lo?

Os meninos desconhecem

Num parlamento jovem ontem realizado numa escola da Região foi notório o desconhecimento dos jovens sobre os nomes dos deputados da Assembleia Legislativa Regional.

Na verdade, fiquei sem perceber muito bem sobre que assuntos é que eles sabiam alguma coisa...



Mas quanto ao primeiro óbice, e dando já de barato que telejornais, impressa escrita (jornais) e imprensa falada (rádios) não faz parte da sua cultura do dia-a-dia, sempre posso ir tentando supor que o facto de na mesa da 'sessão', mais uma vez, estar representado apenas o partido da maioria, e ainda por cima com três marmanjos que não são deputados regionais, terá alguma coisa a ver com o assunto...

Isto é que é democracia.

Depois admiram-se...

O dinheiro é para investimentos

Os 50 milhões disponibilizados pelo Estado são para investimentos, não são para subsídios - AJJ 'dixit'

Pois não!!! Para subsídios ele já abriu mão de 500 milhões!!!


Este também anda cá a mais

A igreja católica apostólica romana continua espalhar o seu veneno muito particular; segundo o Ratzinger (parece o nome do inimigo do Ratatouile), o preservativo incentiva à disseminação da SIDA e de outras doenças sexualmente transmissíveis em vez de as conter.

É mentira e ele é a prova viva disso. Se o pai dele tivesse usado preservativo...

terça-feira, 17 de março de 2009

Haja decoro

A Comissão Europeia avisa que, para quem ganhe o salário médio, a pensão antes de impostos, em 2046, descerá de 70% para 50%.

O executivo nacional contrapõe que a pensão média em 2050 baixa apenas de 71% para 55% do último salário recebido (líquido ou ilíquido? isso não diz).

Ora a grande diferença. Mas não faz nada para impedir que continuem a haver pensões estupidamente elevadas de cargos da função pública e de administradores e directores de instituições tuteladas pela Estado, que muitas vezes acumulam com outros 'empregos' já depois de reformados.

Segundo soube, o presidente da República recebe uma pensão de 4.152€ do Banco de Portugal, outra de 2.328€ da Universidade Nova de Lisboa e outra de 2.876€ por ser ex-primeiro-ministro. Admirado com os benefícios que não se coadunam com o discurso enviei à Presidência da República uma mensagem a perguntar se era verdade. Foi há cerca de um mês e ainda não tive resposta.

Palavras para quê?

Ainda vai a tempo de emendar.

Trriiiimm... Trriiiimm... Trriiiimm..

Responde o atendedor de chamadas da Casa de Saúde:

"Obrigado por ter ligado para o Júlio de Matos (Instituto de Saúde Mental), a companhia mais adequada aos seus momentos de maior loucura."

* Se você é obsessivo-compulsivo, marque repetidamente o 1;

* Se você é codependente, peça a alguém que marque o 2 por si;

* Se você tem múltipla personalidade, marque o 3, o 4, o 5 e o 6;

* Se você é paranóico, nós sabemos quem é você, o que você faz e o que quer. Aguarde em linha enquanto localizamos a sua chamada;

* Se você sofre de alucinações, marque o 7 nesse telefone colorido gigante que você, e só você, vê à sua direita;*

Se você é esquizofrênico, oiça com atenção, e uma voz interior lhe indicará o número a marcar;

* Se você é depressivo, não interessa que número marque. Nada o vai tirar dessa sua lamentável situação;

* Porém, se você cometeu o disparate supremo de votar em Sócrates, não há solução, desligue e espere até às próximas eleições legislativas. Aqui atendemos LOUCOS, não atendemos PARVOS ou INGÉNUOS! Obrigado!

Francisco Goya - Casa de loucos

Passe o exagero... tem piada.

Certa vez, ao chegar a casa, Francisco Louçã ouviu um barulho estranho vindo do quintal.

Chegando lá, constatou haver um ladrão a tentar levar os seus coelhos de criação (aqueles 'da' Convenção...).

Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com os seus amados colehos, gritou-lhe assim:

- Oh, bucéfalo anácroto! Não te interpelo pelo valor intrínseco dos mamíferos quadrúpedes, mas sim pelo acto vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando os meus leporídeos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas, se é para zombares do meu profundo ideário de cidadão digno e honrado, não irás contar com ilécebras mas antes sentirás a minha iriação do modo mais doloroso, e fá-lo-ei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência do que o vulgo denomina por nada.

Ao que o ladrão, confuso, pergunta:

- Doutor, eu levo ou deixo os coelhos?

Promoções à portuguesa

O Presidente do grupo empresarial recebe um dos seus empregados no escritório:
- Muito bem, o senhor tem demonstrado talento. Entrou para a nossa empresa há pouco mais de um ano como Auxiliar de Escritório, dois meses depois era Chefe de Secção, hoje é Director Comercial de todas as empresas do grupo.Está contente com o seu trabalho e com as suas promoções?
- Sim, sim. Muito obrigado, papá.

Coitadinha

Manuela Ferreira Leite diz que está farta de falar e que ninguém a ouve.

Bom. Tem duas soluções: ou fala mais ou cala-se para sempre.

No entanto, não abona muito a seu favor dizer que está farta e menos ainda que ninguém a ouve.

Faz lembrar a ministra da Educação na Assembleia da República: "Eu peço desculpa, mas assim não posso falar...".

Esta gente é uma anedota.

Um adepto de Ghandi

Alguma comunicação social declara AJJ um adepto de Ghandi (para quem não souber quem é, pesquisar em http://pt.wikipedia.org/wiki/Ghandi).

Compreendi-te. Deve ser pelo ódio aos ingleses, porque de resto...

segunda-feira, 16 de março de 2009

Inauguração de investimento na Madeira
Alberto João Jardim apela à redução de lucros para manutenção da empregabilidade e procura interna
9.3.2009 - 20h56
Por Lusa

Alberto João Jardim considerou importante manter o poder de compra da população

O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, apelou hoje aos empresários para que cortem nos lucros em vez de dispensarem trabalhadores, de modo a manter minimamente vitalizado o mercado interno através da sustentação do poder de compra.

“O esforço mais inteligente é reduzir nos lucros sem dispensar pessoal”, disse o governante madeirense na inauguração das novas instalações da empresa Lubrimade, representante da BP na Região – que investiu 650 mil euros nas suas novas instalações na Madeira.

Referindo-se ao actual contexto de crise económico-financeira, Alberto João Jardim lançou um “grande apelo” aos empresários estabelecidos na Madeira para que, “tanto quanto possível, ainda que com forte sacrifício para a empresa ou empresário, que será de um a dois anos, não mais do que isso, se mantenham os postos de trabalho, porque só assim é que se tem possibilidade de passar ao novo ciclo económico”.

Alberto João Jardim considerou ser importante manter o poder de compra da população, ainda que com alguma redução, para que a economia, no seu geral, se ressinta o minimamente possível.

________________


O seu a seu dono. Nós dissemos primeiro!



Mais sobre este assunto, hoje, na 'Ordem do dia' na Antena 1!