terça-feira, 30 de novembro de 2010

Ah,ah,ah! Boa malha, Roberto.

Jaime Filipe Ramos: O sistema de saúde da Região é o melhor do país...

Roberto Almada: Deve ser por isso que o presidente da bancada do PSD (Jaime Ramos), quando tem de ir ao médico, vai a Lisboa...



Ó pra ele com cara de quem tem de ir ao médico...

É o que dá festejar antes de tempo...



Também serve para a política...

Se a moda pega...



Num jogo aborrecido, estes acabaram por se divertirem...

Segundo o Telejornal da RTP-Madeira...

Bloco de Esquerda ameaça chumbar o Orçamento regional de 2011...



Dá-lhes com força Roberto. Aproveita enquanto vales por 24...

sábado, 27 de novembro de 2010

Será que ele sabe que os vencedores não são "comunas"?

Jardim sobre o Euromilhões: «Socialistas roubaram-nos e Deus repôs».



Perdoai-lhe Senhor, pois não sabe o que diz...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Deus também fez greve geral...



O primeiro-ministro da Nova Zelândia, John Key, considerou hoje a morte dos 29 mineiros soterrados numa mina de carvão do país como uma "tragédia nacional"e anunciou que uma comissão irá investigar o acidente.

"Perder os nossos irmão foi um golpe muito duro. Todos os neozelandeses estão solidários com as suas famílias e somos hoje uma Nação de luto", declarou John Key num discurso televisivo.

John Key disse também que visitará quinta-feira a mina onde ocorreu o acidente e que o país irá assinalar um dia de luto, durante o qual as bandeiras estarão a meia-haste e o parlamento irá realizar um minuto de silêncio em memória das vítimas. Por outro lado, acrescentou, nas próximas semanas será estabelecida uma comissão independente para investigar as causas da explosão de gás metano que soterrou os mineiros.

As autoridades da Nova Zelândia confirmaram hoje a morte dos 29 mineiros há seis dias depois de uma segunda explosão de gás metano na galeria de uma mina de carvão onde estavam soterrados há seis dias. "Não houve sobreviventes depois desta nova explosão no interior da mina", anunciou o responsável pelas equipas de resgate, Gary Knowles. As equipas de resgate já tinham revelado poucas esperanças de encontrar vivos os 29 mineiros soterrados até porque os socorristas estavam impedidos de entrar na mina devido à presença de gases tóxicos.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Acção popular pede anulação da cedência de estádio ao Marítimo

No documento é pedida a nulidade da decisão do governo madeirense, que aprovou a cessão "gratuita e definitiva" da estrutura ao clube.

A acção administrativa, que deu entrada anteontem no Tribunal Administrativo do Funchal, alega que a natureza e fins do Estádio dos Barreiros impedem a sua alienação pela Região Autónoma. Sustenta também que a operada transmissão, para além de "inexequível, não salvaguarda na íntegra os fins de interesse público, nomeadamente, a prossecução dos fins de interesse público desportivo a que Região se encontra adstrita".



Eu apoio!!!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Afinal foram 5!!!



E aí vai o vídeo do quinto...!!! De assinalar que há espanhóis que são cegos!!!

Aconteça o que acontecer...

http://www.record.xl.pt/galerias/videos/interior.aspx?content_id=501467

4-0, para mim chega!

Deixo uma foto exemplificativa do meu estado de espírito...



(Assim que tiver o vídeo, eu ponho. Vale a pena)

Embora esteja fora há algum tempo...



... também o sinto um bocadinho meu...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Da cobardia e muitos milhões...

À custa dos nossos impostos (45 milhões de euros!!!), o Marítimo vai ter um estádio novo. Este clube tem como presidente um fulano que foi acusado de ter agredido um jornalista do Diário de Notícias da Madeira (e, pelos vistos, há testemunhas). Veio depois dizer que era tudo mentira e uma invenção do jornal. O Governo Regional da Madeira faz parte da SAD maritimista. O PSD-Madeira não se indignou com o acto. Será que a população madeirense se vai indignar?



Quanto mais tempo vão andar uma série de mamões a viver à grande e à francesa à nossa custa. Revolta-te! EXIGE A TUA VIDA!!!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Quem disse que futebol é com os pés?



Não foi o primeiro a fazê-lo, mas tem pinta...

Ainda dizem que não é possível descer mais baixo...

Marcelino Andrade pede ao Governo que não faça um novo hospital mas um bordel

Declarações do Ortopedista, porta-voz do SESARAM (???), sobre a greve do serviço

"Com o devido respeito que eu tenho pelas senhoras que me ouvem e pelas minhas colegas, uma das coisas que eu queria pedir era que houvesse serenidade, porque se os médicos começam a vir para a praça pública discutir como estão a discutir, era melhor pedir ao Governo que não faça um hospital mas que faça um bordel. A gente tem de discutir as coisas é dentro da nossa casa". Foi desta forma que Marcelino Andrade, médico ortopedista e hoje chefe-de-equipa da especialidade no serviço de urgência reagiu à greve decretada naquele serviço hospitalar.



Não nos bastava este?!

Benfica muda de 'sponsor'...



'Mai' nada!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Começo a suspeitar que alguns boatos não o eram...

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, afirmou hoje que o Estado português "é um Estado ladrão", porque corta "nas reformas das pessoas", para as quais "não contribuiu".

Falando na sessão de abertura do congresso Aconchego Colorido, uma organização do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil, Jardim mostrou-se incomodado com a decisão do Governo de restringir a acumulação de pensões e vencimentos públicos.

Durante a alocução o governante já tinha indiciado que a questão era "caso de tribunal", porque considera que há princípios "fundamentais da União Europeia" que estão a ser violados.

" saída, quando questionado pelos jornalistas para concretizar, Jardim afirmou que é o Estado que tinha "de ser posto em tribunal".

"O orçamento contém inconstitucionalidades e ilegalidades", respondeu e quando interrogado sobre se a iniciativa tinha a ver com as pensões, Jardim retorquiu: "tudo isso é inconstitucional, o estado não pode, a seu critério, cortar as pensões a um tipo que descontou a vida inteira", exclamou.

O responsável já antes tinha acusado o Estado de ser "uma fraude", porque "aplica impostos retroactivamente".

Jardim relembrou que "quando era estudante de direito, quem fosse para o exame de Direito Fiscal dizer que os impostos se aplicavam retroactivamente, chumbava", concluiu.

Continuou, criticando o Tribunal Constitucional por estar "desacreditado" e por deixar "passar a retroactividade dos impostos".

O governante afirmou ainda que como português se sente "ridículo" porque o país chegou "ao ponto em que chegou" e a alternativa dada aos portugueses é que sejam "os mesmos que trouxeram esta hecatombe" a continuarem no comando do destino de Portugal.

Apontou ainda que "os outros que deviam substituir aqueles que não souberam actuar", também dizem que preferem que "isto continue nas mãos daqueles que deram cabo disto, e isto é gozar com os portugueses", concluiu.



Ou seria o inglês (Parkinson)?

quinta-feira, 4 de novembro de 2010